Wilson Lima acompanha etapa final para contratação direta de mais de 1,7 mil enfermeiros

0
34
FOTOS: Diego Peres e Alex Pazuello/Secom

O governador Wilson Lima acompanhou, nesta quinta-feira (16/11), a etapa final do processo de contratação de 1.721 profissionais de enfermagem que se cadastraram previamente conforme edital de convocação do Governo do Amazonas. O atendimento aos selecionados ocorre no Centro de Convenções Vasco Vasques, na zona centro-sul de Manaus.

Segundo o governador, com a medida, o serviço hoje prestado por empresas terceirizadas passará a ser executado por profissionais que farão parte do quadro de funcionários temporários do Estado a partir de 1º de dezembro.

“Estamos dando um passo importante. A gente tem trabalhado para melhorar a saúde e ela só melhora se a gente der, também, condições para quem está na ponta, se a gente der condições para o trabalhador. E a partir de 1º de dezembro, vocês (enfermeiros) efetivamente fazem parte do quadro do Estado do Amazonas e é compromisso do governador: o salário não vai mais atrasar“, garantiu Wilson Lima.

A contratação está autorizada pela Lei 6.472, de outubro deste ano, aprovada pela Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) e, também, pelo Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) 01/2023 firmado junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM). A contratação também atende a demanda da categoria.

Nesta etapa final, os enfermeiros, que vão atuar em unidades de saúde da capital, farão a assinatura do contrato temporário que tem duração de até dois anos, com possibilidade de prorrogação por uma única vez pelo período de um ano. Com a vinculação direta à folha de pagamento da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), os profissionais passam a receber seus salários em dia.

O processo de contratação prioriza enfermeiros que atuavam na rede estadual de saúde por meio de empresas terceirizadas. E, ainda, profissionais contratados de forma temporária por conta da pandemia de Covid-19 e que já tiveram esses contratos encerrados. Agora, esses profissionais assinarão um novo contrato temporário com o Estado.

“Esse é um momento marcante. A história da enfermagem na Secretaria de Saúde do Amazonas tem uma divisória, antes e depois desse momento. Eu vejo como um marco extremamente importante, muito significativo, de valorização, de reconhecimento e de principalmente atender a demanda da assistência para a nossa população“, disse a enfermeira Keny Maduro, 51, que trabalha na Maternidade Ana Braga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui