Garimpeiros fogem de fiscalização em Manaus e tentam esconder dragas em Parintins

0
38
Foto: Divulgação

Um comboio de dragas do garimpo ilegal foi visto em Parintins, no interior do Amazonas, na tarde deste domingo (8). Segundo o Ibama, os garimpeiros fugiram da fiscalização em Manaus e tentaram esconder as estruturas em um braço do Rio Amazonas, em frente à ilha.

As dragas ficaram escondidas no Paraná do Espírito Santo, uma canal situado em frente a Parintins. Uma porção de terra que fica entre a cidade e o paraná impediu que as dragas fossem vistas do porto do município.

No entanto, fotos feitas de perto do canal mostram um comboio com, pelo menos, seis dragas. Acopladas, a estruturas seguiram descendo o Rio Amazonas em direção ao Estado do Pará.

De acordo com o superintendente do Ibama no Amazonas, Joel Araújo, os garimpeiros fugiram de uma operação em Manaus. “Essas balsas saíram do Estado do Amazonas fugindo da atuação dos órgãos ambientais”.

Na quinta-feira (5), uma operação da Polícia Federal (PF) destruiu, em frente a Manaus, pelo menos, nove dragas usadas no garimpo ilegal de ouro no Amazonas.

Os garimpeiros já tinham fugido de uma operação no Rio Japurá, e instalaram as embarcações no Rio Negro, nas proximidades da Ponte Jornalista Phelippe Daou, a Ponte Rio Negro, na Região Metropolitana de Manaus. Localizadas pelo Ibama e PF, as drogas foram destruídas ali mesmo.

Somente em 2023, os órgãos de fiscalização já explodiram 480 dragas e balsas do garimpo ilegal no estado. “O garimpo tem causado sérios danos ao povo do Amazonas. Nossa atuação tem sido implacável contra o essa prática ilegal”, enfatizou o superintendente do Ibama.

Dragas

Montadas em estruturas de madeira e com funções de embarcação, as dragas conseguem navegar pelos rios da Amazônia. Garimpeiros ilegais usam essas estruturas para perfurar o leito dos rios, na tentativa de encontrar ouro e outros minérios.

No Amazonas, a atividade de dragagem é considerada ilegal. Agentes do Ibama, PF e Forças Armadas atuam em conjunto com outras instituições para localizar e destruir essas estruturas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui