Jovem que teve corpo lançado de carro foi morta por estrangulamento

0
37
Reprodução / Redes sociais

De acordo com informações da Polícia Civil de Goiás, a fisioterapeuta Larissa Araújo, de 25 anos, morreu por asfixia em decorrência de estrangulamento. O corpo da jovem foi encontrado após ser arremessado de um veículo que capotou na BR-060, em Rio Verde, no sudoeste goiano, na última segunda-feira (2/10).

Segundo o delegado que investiga o homicídio, Adelson Candeo, também é possível afirmar que a jovem foi estuprada, viva. No entanto, o laudo definitivo ainda não foi divulgado. Material genético masculino foi encontrado no corpo de Larissa, o que aponta para o abuso sexual antes da morte.

O suposto autor do crime, Jerfeson Erivaldo da Silva Nascimento, está preso.

Entenda o crime

O caso foi descoberto após um capotamento na BR-060, km 381, no perímetro urbano da cidade, que fica a 180 km de Goiânia. Um veículo Ford Ka, que seguia no sentido Rio Verde/Goiânia, capotou e, com o impacto do acidente, os vidros foram quebrados. A surpresa é que um corpo humano, que estava no veículo, foi arremessado para fora do carro. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o cadáver, que era levado no porta-malas do veículo, estava envolto em lençóis, com os pés e mãos amarrados.

O motorista do veículo fugiu por uma área de mata próxima ao local, mas foi localizado e preso pela Polícia Militar (PM). Dentro do carro, também foram encontrados um botijão de gás e uma televisão que pertenciam à vítima, assim como o próprio veículo.

De acordo com a polícia, Jerfeson entrou na casa da vítima com o objetivo de cometer um furto. Como a proprietária estava na residência, o homem decidiu estuprá-la. Depois disso, ele matou a fisioterapeuta estrangulada e tentou esconder o corpo para não ser preso.

Conforme a corporação, a perícia apontou que a morte da jovem ocorreu entre 5h e 6h de segunda. Imagens de câmeras de segurança mostram uma movimentação na casa de Larissa durante a madrugada e, por volta das 6h, Jerfeson sai da residência dirigindo o carro que pertencia à vítima.

Conforme aponta o delegado Caio Martines, que participa da investigação do caso, o suspeito é usuário de drogas e não mantinha qualquer tipo de relacionamento com a vítima. Ainda não foi possível identificar se Jerfeson chegou à casa de Larissa por uma eventualidade ou se ele já monitorava o endereço.

Criminoso

Jerfeson Erivaldo é natural do Rio Grande do Norte e cumpriu, no estado, pena entre os anos de 2017 a 2023 pelos crimes de furto e roubo. O suspeito foi solto de sua última prisão em junho deste ano.

Durante o tempo em que ficou preso, os registros da PM apontam que Jerfeson teve mau comportamento em algumas ocasiões, o que resultou em advertências.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui