Em fiscalização no HPS Platão Araújo, deputado Wilker Barreto constata estoque crítico de medicamentos, falta de aparelhos e leitos represados

0
20

O deputado estadual Wilker Barreto (Cidadania) usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) desta terça-feira, 26, para repercutir a fiscalização da Comissão de Saúde e Previdência da Casa Legislativa (CSP-Aleam) no Hospital e Pronto-Socorro Dr. Aristóteles Platão Bezerra de Araújo, localizado na Avenida Autaz Mirim, Zona Leste de Manaus, na última segunda-feira, 25. Diante da tribuna, o parlamentar detalhou as problemáticas constatadas na unidade, como a falta de medicamentos e itens PPS (Produtos Para Saúde), ausência de equipamentos e represamento de leitos por pacientes aguardando procedimentos médicos em outras unidades, bem como o atraso de salários de profissionais que atuam na unidade.

Durante a inspeção, Wilker detectou uma lista de 100 itens PPS (Produtos para Saúde) em falta ou com estoque crítico. Materiais como agulhas, curativos, ataduras e fios cirúrgicos, bem como 26 tipos de medicamentos, são alguns dos itens faltosos na unidade. Além disso, a direção do hospital relatou a necessidade dos aparelhos de ressonância magnética, ecocardiograma, tomografia e ultrassonografia.

“Eu não preciso nem ser médico para entender que aquela equipe esforçada do Platão Araújo trabalha com o que tem. Está faltando desde agulha até medicamentos, antiobióticos… Percebi a boa vontade do pessoal em trabalhar, mas quem trabalha sem estrutura? Estou fazendo uma cobrança pública para o secretário Anoar sair do ar-condicionado e passar um dia lá no Platão, destravando situações que este deputado encontrou numa tarde”, ponderou Barreto.

Outra denúncia é o atraso de salários da enfermagem que atua no Platão Araújo. De acordo com os relatos, das três empresas que prestam serviços terceirizados na unidade, duas estão com pendências nos pagamentos dos funcionários, que estão de dois a três meses sem receber. A falta de uma usina de oxigênio também foi constatada pelo parlamentar, onde atualmente a unidade de saúde opera com tanques abastecidos por uma empresa prestadora de serviço.

Represamento de leitos

Outro problema constatado na fiscalização e um dos motivos para a lotação do HPS Platão Araújo é o represamento de leitos por pacientes que estão aguardando exames ou transferências para outras unidades da rede pública estadual de saúde. Dos 230 leitos ofertados no hospital, 98 deles se encontram ocupados com o seguinte represamento: 28 pedidos de CPRE (procedimento para diagnóstico e tratamento de doenças biliares em espera; 20 pedidos de ecocardiograma pendentes; 11 pacientes aguardando cateterismo; 6 esperando exames de ressonância magnética, 4 pedidos de arteriografia e outros 29 aguardando transferências para o Hospital Francisca Mendes ou Delphina Aziz.

É o caso de Creuza Oliveira, que aguarda o irmão ser transferido para o hospital do coração após o mesmo sofrer um infarto. “Hoje foi um desespero muito grande porque o meu irmão está se acabando ali e as pessoas não estão dando valor para a vida dele”, lamentou Creuza.

Emenda

Diante dos problemas detectados no hospital, Wilker firmou o compromisso de destinar emenda parlamentar no valor de R$ 500 mil para melhorias dos serviços na unidade, visando um atendimento digno à população amazonense.

“Já assumi o compromisso com a direção de encaminhar emendas ano que vem, de enviar R$ 500 mil pra ajudar o Platão Araújo, porque é inadmissível um hospital daquele porte, que atende 7 mil pessoas por mês, não ter um ecocardiograma, exames que poderiam tá colocando a vida do cidadão em tranquilidade, suspensos. O nosso intuito é ajudar a saúde do nosso Estado”, finalizou o deputado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui