Anderson deixa a Sejel e faz sérias acusações contra José Melo

0
742

O secretário da Secretaria Estadual de Juventude, Esporte e Lazer(Sejel), Anderson de Souza, pediu demissão do cargo, mas saiu atirando pesado na direção do governador José Melo. Filiado ao PCdoB, partido que Melo busca a todo custo obter o apoio, Souza reclama das pressões políticas e interesses eleitoreiros que tomaram conta do Executivo.

Na Sejel, a continuidade dos programas da pasta e a liberação de verbas para tal passaram a ser condicionadas à decisão do PCdoB em declarar apoio ao governador.

Psicótico com a possibilidade de ser apunhalado pelas costas, em todo canto de seu governo Melo vê a presença do senador Eduardo Braga, que muito provavelmente será seu principal adversário na disputa pela reeleição.

O governador sabe que está no comando, mas que não tem a máquina do governo na mão, afinal assumiu o Executivo com quase a mesma estrutura deixada por Braga, em 2010. Melo, também, sabe-se um rei coroado, só que como se fizesse parte da segundo na linha sucessória, como realmente faz.

A fórmula encontrada pelo governador é demitir, principalmente nos escalões inferiores. Assim, faz pressão contra os partidos que tem cargos públicos no Estado e não desagrada totalmente as lideranças partidárias a tal ponto de impedir uma coligação sob seu comando.

Segundo, Souza, desde que Melo assumiu parou a liberação orçamentária para execução dos projetos e programas do Governo do Amazonas sob comando da Sejel.

O ex-secretário denunciou ainda o boato de demissão em massa, a partir do dia 15, de centenas de trabalhadores da Sejel por conta do encerramento de diversos convênios que não tiveram recursos liberados..

leia o post no facebook
Aos meus amigos e amigas:
Quero tornar público os motivos que me levaram a pedir demissão do cargo de secretário da Sejel, em exercício.

1- As pressões políticas, os interesses eleitoreiros, qualquer tipo de chantagem, jamais podem se sobrepor aos interesses públicos e aos interesses da população;

2- condicionar a continuidade das ações da Sejel em detrimento de um posicionamento eleitoral do meu partido e achar que vamos, ou que eu vou aceitar trocar cargos por decisão a cerca da sucessão estadual é desconhecer nossa história de quase 92 anos;

3- pressão pra demitir funcionários terceirizados sem justificativa, só pq tal pessoa é ligado a alguém que conhece tal pré-candidato, chegando ao ponto de demitirem um funcionário sem comunicação a Sejel, a qual soubemos pelo diário oficial, é uma postura nada republicana;

4- desde que fiquei em exercício não houve interlocução com o Goverbador, em que pese termos solicitado várias audiências pra tratar de assuntos do Governo do Amazonas;
5- até hoje não foi liberado orçamento e mesmo pagamentos para execução dos projetos e programas do Governo do Amazonas sob comando da Sejel;

6- corre-se o risco de paralisar as atividades, prejudicando o atendimento a milhares de pessoas, bem como atraso no pagamento de centenas de funcionários, prestadores de serviço…;

7- por fim lamento muito tudo isso e espero que meu ato possa sensibilizar o Sr. Governador José Melo a autorizar a liberação do orçamento e recursos financeiros para dar continuidade aos trabalhos da Sejel;

8- e espero também que não ocorra a demissão em massa a partir do dia 15, como se propala no palácio do governo, de centenas de trabalhadores da Sejel por conta do encerramento de diversos convênios que não tiveram recursos liberados para continuidade;

9- espero que a partir de agora o Governador esteja a vontade e que o mesmo garanta a manutenção dos empregos de nosso colaboradores e o atendimento à população;

10- quero agradecer o ex-governador Omar Aziz, a minha amiga Alessandra Campêlo e ao meu partido, por terem me dado essa oportunidade de contribuir com o meu Estado;

11- aos atletas, técnicos, dirigentes, aos amigos e amigas dos Esporte fica aqui a minha admiração e o meu respeito. Agora é trilhar novos horizontes e sempre defendendo a Bandeira do Esporte e da Juventude Amazonense.

Ps: pessoalmente nesse processo turbulento não guardo mágoas de ninguém. Essa decisão foi minha. Meu partido ainda não tem posição oficial a cerca da sucessão estadual. Não conseguiria ficar em paz sabendo que a continuidade de minha pessoa na Sejel poderia no final do mês trazer prejuízos a pessoas que nada tem a ver com tudo isso. Tive a coragem de fazer o que fiz por que aprendi com minha família quem nem tudo vale a pena nessa vida. Sejamos felizes!! E que Deus nos Abençoe!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui