Motorista da tragédia da Djalma Batista usou cocaína e alcóol antes do acidente

0
582

O Diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), delegado Emerson Negreiros, declarou neste sábado, 19, em entrevista coletiva, que Ozaias Costa de Almeida, condutor da caçamba que matou 16 pessoas no dia 28 e março, estava sob efeito de álcool e cocaína no momento do acidente.
No exame de Cromatografia em Camada Delgada (CCD) para a pesquisa de cocaína na urina, feito com o material de Ozaias, indicou que ele estava sob efeito da substância.
Já nas amostras de sangue do motorista foi constatado a concentração de 3,18 gramas de álcool etílico por litro de sangue.
O laudo foi realizado por peritos do Instituto de Criminalística do estado do Pará, no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, em Belém. De acordo com o diretor do DPM, o exame de Robert da Cunha Moraes, condutor do micro-ônibus, deu negativo para álcool e entorpecentes.
90 km/h
A perícia técnica feita no tacógrafo (equipamento que mede a velocidade do veículo no momento do acidente) apontou que a caçamba trafegava entre 80 e 90 km/h no momento do fato.
O delegado da Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito (DEAT), Luiz Humberto Monteiro, responsável pelo inquérito do acidente, ressaltou que o inquérito deve ser finalizado até o final do mês de abril e encaminhado à Justiça.