Boca do Acre à beira do colapso

0
1968

O município de Boca do Acre está vivendo uma situação como há décadas não vivia. Produtos sendo racionados, inflação da cesta básica, estrada intransitável e a falta de combustível. Quem imaginaria um cenário como esse? Talvez pelas décadas de anteriores aos anos 80 Boca do Acre pode ter passado por um perrengue desse.

Isolamento

BR-317, o primeiro problema. Uma das dificuldades tem nome e se chama BR-317. A estrada federal que liga o município ao restante do país, que talvez seja a única no Brasil a ter intervalos de asfalto e barro, chegou ao seu ponto mais crítico em toda sua história que é de mais de 50 anos. Nenhum movimento foi necessário para deixar a estrada sem permitir o ir e vir, pois, devido à falta de manutenção e ao inverno rigoroso, a 317 simplesmente está perecendo, acabando.

A situação está tão alarmante que o isolamento da cidade já é fortemente cogitado. O pior de tudo é que a ‘bronca’ não é das maiores, não são longos trechos ruins, apenas uma vala que se abriu no km 45 e que a Secretaria Municipal de Obras ainda não foi até o local para realizar o serviço para permitir o tráfego.

Bloqueio total

Quem tenta passar pelo local não consegue, a não ser arrastado por um trator, que em algumas situações não consegue dar conta de puxar veículos de um lado para outro e também em razão da profundidade do buraco, que segundo informações, mede mais de 1 metro.

Os taxistas praticamente encerraram as atividades. Segundo presidente do Sindicato dos Taxistas, Setenta, carros pequenos não estão conseguindo transpor obstáculo, apenas caminhonetes traçadas enfrentam o atoleiro e conseguem seguir viagem com muita dificuldade.

Preocupação com TFD

De acordo com a vereadora Luciana Melo, em conversa com o secretário municipal de Saúde, José Carlos Lopes, existe uma preocupação muito grande com as pessoas que fazem tratamento de saúde na capital acreana. A vereadora disse que uma das ideias propostas pelo secretário, era de que os pacientes, principalmente aqueles que fazem hemodiálise, ficassem temporariamente em Rio Branco, para garantir o tratamento, no entanto, não existiu bom senso da parte deles e a proposta foi refutada, o que deixou o secretário apreensivo, pois são casos extremamente delicados.

Na tarde de ontem, quinta-feira (27), a ambulância que serve para transportar os pacientes em Tratamento Fora do Domicílio ficou atolada.

Secretaria de Obras promete ir ao local, se não chover

O secretário municipal de Obras, Edygley Melo, disse à reportagem do Portal do Purus que se na chover, na manhã de hoje, sexta-feira (28), as máquinas irão começar o serviço de reparo no km 45.

Edygley informou que serão necessários pelo menos dois dias sem chuvas para que o serviço seja completado.

Sem combustível

Os postos de gasolina de Boca do Acre estão sem uma mísera gota de combustível. A expectativa era que com a chegada de uma balsa em Rio Branco, levando 600 mil litros combustíveis para o estado do Acre, consequentemente Boca do Acre fosse ser abastecida, entretanto, até o momento nenhum dos postos têm gasolina e diesel.

Segundo o secretário de Obras, Edygley Melo, a falta de combustível foi um dos motivos para a não realização do serviço no km 45 para desobstruir a estrada.

boca do acre

boca do acre1

boca do acre2

fonte – Porta do Purus

http://portaldopurus.com.br/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui