Eleitor denuncia supostas vendas de senhas para a biometria em Manacapuru

0
435

Por Marlon Serafim

Para cumprir com minhas obrigações eleitorais em Manacapuru- refiro-me a biometria -, cheguei as 6:00h desta segunda feira, 24 de março, no cartório eleitoral para o cadastramento. A fila começa a andar. No entanto é de perder de vista o funcinário do TRE que começa a entrega as senhas exatamente as 8:00h.

Ainda mas cedo na fila ouvi muitos comentários a respeito de VENDA DE $ENHA$ e senhas reservas para os chegados (a famosa peixada).

No então momento de receber a senha, minha esposa (Josiane Reis), a minha frente, pegou a senha de Nº 385. A minha, 387. Pensamento lógico: quem recebeu a 386?

Achei que fosse um acaso a ausência desta senha e ao mesmo tempo, não já que havia ouvido na fila “Vendas de Senhas…”

Tempo mais tarde encontrei o rapaz (José Lima) que estava a frente da minha esposa na fila.

Desconfiado perguntei a ele qual o número da sua senha. Incontinente respondeu: 383.

Logo liguei a um novo equívoco. Então faltava mais uma senha? Sim, a de Nº 384. E quantas mais…?

Na chamada das senhas pude ver o rosto e estar ao lado dos dono das respectivas senhas “fantasma” da ocasião (384 e 386)…

O que eu poderia fazer? Nada. Agora eles eram os donos da senhas.

Cadê a fiscalização? Cadê o povo que quer mudança, que questiona o governo? Quer que isso ou aquilo melhore….

A consciência está à venda como objeto exposto na vitrine que, qualquer que pague leva.

Marlon Serafim
Estudante de Comunicação Social Publicidade e Propaganda.

2014-03-24 13.13.43 2014-03-24 13.30.18

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui