Apesar do crescimento, qualidade do ensino médio brasileiro segue abaixo do esperado

Compartilhe:

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2019, mostra um avanço histórico na qualidade do ensino médio brasileiro. Entretanto, apesar das melhorias, os resultados ainda continuam abaixo do esperado. 

De acordo com o Ideb, entre 2005 e 2017, o ensino médio brasileiro cresceu 0,4 ponto, de 3,4 para 3,8 pontos. Já em 2019, o resultado alcançado foi de 4,2 pontos, o maior crescimento em um ano. O ranking permanecia há quatro anos em estabilidade. 

No entanto, a média é inferior à média estabelecida. Somando escolas públicas e particulares, a média deveria chegar aos 5 pontos.

Desigualdade no ensino médio brasileiro

O levantamento mostra pontos de desigualdades nesta etapa da educação básica. Primeiramente, há uma discrepância entre as regiões brasileiras: 39,4% das cidades do Norte e 21,1% das do Nordeste têm Ideb menor que 3,1 nas escolas estaduais. Já no Sudeste, apenas 2% dos municípios apresentam um índice tão baixo.

Outro dado preocupante é referente a diferença entre as redes particular e a estadual. Na rede privada, o desempenho médio no Ideb foi de 6. Na rede estadual, é de 3,9. O ensino particular é responsável por 12,2% das matrículas de Ensino Médio do país.

O que é o Ideb?

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica foi criado em 2007 para monitorar o desempenho da educação no Brasil. Ele é calculado a partir dos dados sobre aprovação, obtidos no Censo Escolar, e dos resultados do Saeb.

O Ideb agrega ao enfoque pedagógico das avaliações em larga escala a possibilidade de resultados sintéticos, facilmente assimiláveis, e que permitem traçar metas de qualidade educacional para os sistemas. O índice varia de 0 a 10. 

O índice também é importante condutor de política pública em prol da qualidade da educação. É a ferramenta para acompanhamento das metas de qualidade para a educação básica, que tem estabelecido, como meta para 2022, alcançar média 6 – valor que corresponde a um sistema educacional de qualidade comparável ao dos países desenvolvidos. Com informações de Educa + Brasil.