35.3 C
Amazonas
quinta-feira, setembro 16, 2021

Residencial Cidadão Manauara 2 já tem mais de 280 famílias que completaram a mudança

Mais de 50% dos novos beneficiários do residencial Cidadão Manauara 2, etapa B, bairro Santa Etelvina, zona Norte, já completaram suas mudanças para o novo lar. Desde o início do cronograma, mais de 280 famílias passaram a residir e dar vida, cor, alegria e movimento ao conjunto, que integra o programa habitacional da Prefeitura de Manaus dentro do programa federal “Casa Verde e Amarela”, do Ministério do Desenvolvimento Regional.

Algumas das mudanças contaram com apoio da prefeitura, com caminhões cedidos pelas secretarias municipais de Infraestrutura (Seminf) e de Limpeza Urbana (Semulsp), especialmente para as famílias que estão desempregadas e sem recursos para arcar com os custos de um frete.

Entre os mais de 280 novos moradores, pelo menos 15 dos beneficiários que tem na família Pessoas com Deficiência (PcDs) também já ocupam as unidades projetadas especialmente para eles. Das 500 unidades habitacionais, 16 apresentam funcionalidades que irão facilitar o deslocamento e atividades dos moradores dentro dos imóveis. Os apartamentos têm barras no banheiro para evitar acidentes na hora do banho, cadeiras adaptadas ao vaso sanitário e piso com textura para auxiliar no andar e reconhecimento da área por pessoas, por exemplo, com deficiência visual. Os cuidados possibilitam independência e funcionalidade.

Quem mora num apartamento adaptado é a dona de casa Jane de Oliveira Melo, 36, no bloco 23, que fez sua mudança neste sábado, 5/9, após uma das filhas gêmeas ter alta do hospital. As gêmeas de 16 anos têm lúpus e uma precisou ser internada numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI), durante 17 dias.

“Agora estamos na nossa casa. Atrasei a mudança em agosto, porque precisei ficar com a minha filha. Não temos parentes aqui. Nunca fiquei tão feliz na minha vida, como quando vi meu nome sorteado. Agradeço por toda a ajuda da Prefeitura de Manaus, ao prefeito David Almeida, que Deus iluminou na hora certa. E que ele possa fazer ainda muito mais por mais pessoas que necessitam”, disse Jane, que cuida dos filhos em tempo integral, em razão das limitações da doença. Uma das adolescentes foi diagnosticada em 2011 e a outra começou a ter os sintomas em 2016.

Estudantes do 1º ano do ensino médio, ambas têm o sonho de fazer o curso superior de Medicina. Jane tem ainda um menino de 10 anos. “Morávamos de aluguel no Fazendinha, na Cidade de Deus, nos últimos três anos. Desde os 15 anos sonho em ter minha casa própria”, disse a dona de casa, contando que é natural de Novo Aripuanã, cidade que teve que trocar pela capital, para poder dar um tratamento de saúde melhor para as gêmeas.

As adolescentes têm lúpus eritematoso sistêmico, uma doença autoimune que faz com que as células de defesa ataquem as células saudáveis do corpo, o que pode provocar inflamação em várias partes do corpo, especialmente articulações, pele, olhos, rins, cérebro, coração e pulmões. Sem cura, a doença tem tratamento e medicação para aliviar os sintomas. Jane é uma das novas moradoras que contou com a ajuda para sua mudança.

Adaptação

A adaptação dos apartamentos foi desenvolvida sob encomenda da Prefeitura de Manaus e pode se tornar tendência à medida que cresce no país o número de PcDs.

Com 23.981,39 metros quadrados de área construída, o conjunto multifamiliar segue o padrão moderno de edificações de imóveis econômicos, com padrão de qualidade. Possui 25 blocos, com 20 apartamentos cada.

Cada torre do residencial Cidadão Manauara 2 conta com cinco andares, sistemas de gás encanado e de água, além de instalações hidrossanitárias. Além do investimento na infraestrutura, a construtora também executou área de lazer atrativa com três playgrounds, quadra poliesportiva, quadra de areia, centro social e áreas comuns.

O residencial tem recursos do governo federal, por meio do Ministério de Desenvolvimento Regional, e sua construção foi executada pela RD Engenharia, com valor de R$ 41 milhões, realizada no âmbito do “Programa Minha Casa, Minha Vida” (PMCMV), hoje substituído pelo “Casa Verde e Amarela”.

O projeto é coordenado pela Vice-Presidência de Habitação e Assuntos Fundiários (Vpreshaf), vinculada ao Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb).

Mutuários

As mudanças dos novos mutuários, que vão pagar o apartamento em financiamento com a Caixa Econômica Federal, em 10 anos, iniciaram no dia 29 de agosto. Em razão das medidas de distanciamento por causa da pandemia da Covid-19, os beneficiários foram divididos em grupos, tendo prazo de até 30 dias para realizar suas mudanças.

Programa

O prefeito David Almeida já lançou o programa “Casa para Todos”, cuja meta é a construção de mais de cinco mil unidades habitacionais de interesse social em diversos bairros da capital.

“Nós temos essa entrega de 500 casas e a perspectiva é de fazer cinco mil habitações na cidade de Manaus, em parceria com o governo federal”, assegurou Almeida.

O objetivo do programa é a construção de novos conjuntos habitacionais, além da oferta de lotes pequenos e urbanizados. Conforme o prefeito, o projeto prevê a criação de um Núcleo de Apoio Técnico à Moradia, que será responsável por orientar o cadastramento das famílias nos programas habitacionais.

Os futuros moradores serão isentos de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), como medida da gestão do prefeito David Almeida, por lei municipal.

Related Articles

Fique conectado

FansLike
FollowersFollow
0FollowersFollow

Outras matérias