23.6 C
Amazonas
quarta-feira, janeiro 26, 2022

Carol Braz e Luiz Castro escutam moradores revoltados com os valores da conta de energia

Após convite dos moradores e recém-formados defensores populares Lúcia Tavares e Luiz Coderch, a defensora pública e ex-juíza Carol Braz e o ex-deputado Luiz Castro, estiveram na última quarta-feira (5), numa reunião com comunitários no bairro Nova Cidade, zona-norte de Manaus. 
 
Populares aproveitaram a oportunidade para expor sua indignação aos valores exorbitantes das contas de energia elétrica e relataram dificuldades em realizar a quitação de débitos considerados injustos.  
 
A cabeleireira Doralice teve que fechar o salão devido às altas cobranças na conta de energia.  “Tem muita gente humilde onde eu moro. Eu tenho um salão de beleza e minha energia tá dando R$1.800,00 e a energia de uma vizinha tá dando R$25.000,00 como é que o povo vai conseguir pagar? Como vou ter algum lucro se uma escova progressiva dura 5 horas? Nós queremos pagar, mas o preço é injusto”, disse. 
 
A história do viúvo Luís Gonçalves, de 65 anos, morador da Rua Esperança, quadra 16, do conjunto cidadão 1, passou as festas de fim de ano até agora no escuro, desde 18 de dezembro, quando teve o fornecimento de energia cortado, devido a dívida de R$ 28 mil e não ter a condição financeira de pagar, já que depende exclusivamente do Bolsa Família e que também vive com dois filhos adolescentes.  Na reunião, ele foi orientado pela defensora Carol Braz em buscar o BPC (Benefício de Prestação Continuada) que ele não sabia que tinha direito.
 
Carol Braz explicou que a Defensoria Pública do Amazonas instituiu o Núcleo de Defesa do Consumidor e orientou aos prejudicados pela alta cobrança da tarifa de energia, ingressar na justiça por meio de uma ação coletiva.
 
“Empresário quer ter lucro e quer ganhar dinheiro, mas precisa ganhar desde que o próprio cliente tenha condições de pagar as contas”, disse a defensora.
 
Dessa maneira, os defensores populares convidaram a comunidade para uma ação civil pública contra os valores abusivos de energia elétrica.
 
“O poste trifásico custa R$830,00 e quem está pagando essa conta é o povo. Solicito que as famílias paguem o valor justo pelo fornecimento da energia elétrica. Eu agradeço a Defensora Pública Carol Braz e com conhecimento a gente consegue resolver os problemas, a senhora foi juíza e sabe que precisamos de uma ação efetiva e aqui reunimos líderes comunitários e moradores para entrarmos na justiça com uma ação civil pública”, falou o psicólogo Luiz Coderch Tavares, morador do Núcleo 14.  
 
O ex-deputado Luiz Castro deixou um discurso de esperança aos que estavam presentes na reunião.  
 
“No hino do Amazonas tem uma frase que passa despercebida: ‘só triunfa a esperança que luta.’ Quem entende a palavra esperança como passividade, que só fica esperando a esperança acontecer e não luta, não vê a esperança acontecer. Mesmo na Bíblia, no evangelho, a esperança tem o significado de que você trabalhe para que a sua esperança triunfe. A Carol Braz tá aqui, os defensores, os líderes estão aqui e todos estão de parabéns, pois vocês tem esperança e vocês lutam. As vitórias vão chegar, algumas podem vir mais rápido, outras podem demorar um pouco mais, mas toda luta envolve firmeza, permanência e resiliência”, disse Luiz Castro. 
 
A defensora pública Carol Braz elogiou a iniciativa dos defensores populares Lúcia Tavares e Luiz Coderch pela mobilização da comunidade em prol de seus direitos. 
 
“Eu fico muito feliz com o resultado de um curso que eu fiz chamado Defensores Populares na Defensoria Pública e mostrou esses alunos que mobilizaram e reuniram a comunidade para defender os seus direitos. Os moradores compareceram em peso e juntamente vários líderes de outras comunidades que estão passando com a mesma dificuldade. A gente percebe que a partir do momento que conhecemos os nossos direitos, temos a iniciativa de impedir que esses direitos sejam violados”, disse. 
 
Caso será encaminhado para o Núcleo do Consumidor da Defensoria Pública.  
 
“Muitas pessoas nesta pandemia estão com fome, passando necessidade e ainda são surpreendidas por contas que do dia pra noite se tornam abusivas. Essa causa será encaminhada para o Núcleo do Consumidor da Defensoria Pública para que a Justiça possa acompanhar caso a caso e o que está acontecendo com inúmeras famílias em nossa cidade”, informou Carol Braz. 
 
O POVO ACORDOU
 
Durante a live divulgada por meio de um portal, a Defensora Carol Braz se emocionou ao saber que os internautas levantaram as hastags #opovoacordou para mobilizar a sociedade sobre as altas cobranças de energia em nossa cidade.  
 
“O povo acordou e já chega do que a gente passou na pandemia. Já chega do que as nossas famílias estão passando e esse curso de Defensoras Populares acordou essas pessoas que estão aqui cobrando seus direitos. Não podemos mais aceitar que os nossos direitos sejam jogados no lixo e essa é a hora do povo se unir. O povo unido não vai permitir que seus direitos sejam violados”, disse.
 
Carol Braz finalizou convidando a população e todos os líderes comunitários a entrarem nessa luta. 
 
“Não deixe de participar dessa mobilização. Hoje uma conta que você não consegue pagar, vai atrapalhar o seu remédio e a sua comida, hoje tive relatos de pessoas acamadas e que estão doentes, nervosas e ainda sem luz em casa neste momento. Então, não se cale, pois o povo acordou. Contem com todo o meu apoio e do Luiz Castro que também está comigo nessa batalha pra que a gente leve esse caso pra justiça, a gente vai levar e a população vai fazer seu papel de mobilizar, abraçar e cobrar pra mostrar que essa causa é de todos nós.” finalizou Carol Braz.

Related Articles

Fique conectado

FansLike
FollowersFollow
0FollowersFollow

Outras matérias